domingo, 10 de abril de 2011

«O INSTANTE: IMAGENS E LETRAS» - EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA E POESIA


Depois de uma longa ausência, voltei para partilhar um evento, quase em vésperas de terminar: a minha primeira exposição de fotografia e poesia.

Desde criança que gosto de escrever e desenhar. Claro que na altura eu não tinha máquina fotográfica, mas fotografava com o olhar. Depois de crescida, já no curso superior, enveredei ainda pela vertente das Artes. Mais tarde, segui a vertente de Português/Francês. Opções de futuro mais confiante (e foi o melhor, pelo menos naquele momento, pois fiquei logo no quadro de escola). Todavia não abandonei o gosto pelo desenho, pintura... É verdade que a vida profissional não deixa muito tempo para nos dedicarmos a outros interesses. As ações de formação são dentro da área que somos especializados - o que não é de estranhar; porém, poderíamos frequentar outros cursos e podermos usufruir de créditos para progressão na carreira, afinal somos indivíduos «num todo» que ensinam.

Bem, mas com muito ou pouco profissionalismo, o Museu Municipal de Ferreira do Alentejo deu-me a oportunidade de expor o que faço com agrado.

Faço questão de agradecer em primeiro lugar aos meus pais, que partilham comigo os meus sonhos; depois à Dra. Maria João Pina e à equipa, na pessoa da Luísa Rodrigues, que com ela dinamizam os eventos do Museu e, finalmente, a todos os que visitaram a minha exposição (desconhecidos, conhecidos, colegas, vizinhos e amigos). É nos maus e nos bons momentos (sem dividendos) que sabemos quem nos quer bem.

Bem-hajam!





2 comentários:

O Profeta disse...

Um sótão cheio de lembranças
Escrevi no pó palavras sem nexo
Retirei uma cartola de uma caixa de cartão
E senti ao toque o poder da ilusão

Ilusões…
Um cavalo de pau perdido ao carrocel
Uma estola de um bicho qualquer
Uma escultura talhada a cisel

Uma foto a preto e branco
De uma mulher sem rosto
Uma janela virada para nenhum lado
Uma traquitana a imitar o sol-posto

Terno abraço

Maria Isabel Montes disse...

Que lindo o seu poema! Foi um bom presente, pois há muito tempo que não vinha «aqui».

Um abraço